23.1.07

Caçador de Mitos: TPM e Transtorno Bipolar Existe ou É Desculpa Esfarrapada das Mulheres?

Seguindo a tradição de matar o suspense de cara. A resposta é sim e não. Como A Pipa do Vovô se baseia em valores científicos, não em crenças sem nexo, a resposta é dúbia mesmo.

Começamos com o “sim”. Há comprovação científica que TPM existe. Ok, mas existe um porém. A famosa Tensão Pré-Menstrual, na maioria dos casos, só ocorre em mulheres da classe A e B da população. Mulher pobre também menstrua, óbvio. Mas no cerebelo das mulheres de classes menos favorecidas há uma chave que trava essa tensão. “Muitas vezes essa trava, que a medicina chama de consciência absoluta auto-desenvolvida, se desenvolve nas mulheres pobres devido a falta de tempo para pensar em bobagens. Pois os filhos precisam de comida, de mamar, ou a mulher trabalha e cuida da casa. E também há casos em que o marido ou companheiro é violento com elas daí fica difícil de ter chiliques, senão apanha mesmo”, explica o doutor e mestre, Mauro Varella (primo do Drauzio), especialista em frescuras psico-femininas somáticas.

Não só as femeas ricas sofrem de TPM, as gordas e feias também sentem o mesmo mal na pele. “Nessas mulheres o fenômeno se desenvolve devido à falta da atividade sexual mesmo”, alfineta o primo do Varella mais famoso da Tv.

Agora se a mulher não se encaixa em nenhum desses perfis, e ainda assim, está sempre estressada ou com TPM constante, o problema é outro: Transtorno Bipolar. Sim, ele existe e é comprovado cientificamente. Mas a cura deste mal é simples. “Bom, nos casos de Transtorno Bipolar há duas saídas eficazes, todas comprovadas por testes. Uma delas é o tratamento à base de pão de ló, ou seja, o homem deve dar presentes, ir a festas, fazer carícias em público e comparecer sempre que a mesma tiver necessidade. A segunda está no próprio homem, se ela é tratada a pão de ló e ainda assim está transtornada bipolarmente é só arranjar outra mulher que não sofra esse mal. Pronto, mas se faltar coragem ao homem, a solução é ir a quitanda mais distante de seu país comprar cigarro e nunca mais voltar”, afirma, e encerra a matéria, o professor super doutor em Funcionamento Cerebral Feminino, Tomáz Nabun Detrás.

10 comentários:

Jéssica Feiten disse...

A-D-O-R-E-I!!!
Aproveitando o espaço, Lucas, adorei te ver na formatura! Espero que as tuas "previsões" se confirmem :-)
Um beijão!

Letícia De Castro (Chuchu) disse...

Melhor blog de notícias metirosas, porém honestas. Bjca

Antonio disse...

Ei pessoa que escreveu, gostei muito do texto! Extremamente explicativo!

Pra quem passa pelo problema de estar com uma mulher que tira a semana pra ficar com tpm, bipolaridade e toda a sorte de constatações, a segunda solução torna-se plausível, depois que o amor acaba.

Se bem que ainda amo aquela mulhé!

silvia disse...

Ao Sr Lucas Barroso:
Texto infeliz e desrespeitoso com dois problemas que comprovadamente existem e que são sérios demais para serem tratadas como alvo de brincadeiras de mau gosto. Sugiro que o Senhor se informe melhor a respeito do que fala para que não trate de maneira leviana os problemas que as mulheres (e muitos homens, no caso da Bipolaridade) enfrentam.
É com grande tristeza que vejo que o Senhor, além de desconhecer a profundidade do assunto, também desconhece as Leis do país onde vive.
A Convenção de Belém do Pará (1994) que tem força de lei interna, conforme o disposto no § 2º do artigo 5º da Constituição Federal vigente, diz em seu Capítulo II:
Artigo 6º- O direito de toda mulher a uma vida livre de violência inclui, entre outros:
a) o direito da mulher de ser livre de toda forma de discriminação, e
b) o direito da mulher ser valorizada e educada livre de padrões estereotipados de comportamento e práticas sociais e culturais baseadas em conceitos de inferioridade ou subordinação.
Portanto como pode ver, seu “artigo” é de conteúdo criminoso e discriminatório, já que trata de forma vexatória e com intenção de inferiorizar sentimentos e condições femininas. Sugiro que reflita e reveja o seu ponto de vista, pois tem às mãos um poderoso instrumento que deveria servir para educar os cidadãos que possuem acesso à internet, ao contrário do que está fazendo. Lembre-se que a Senhora sua mãe também é mulher e não sei se ela ficaria confortável ao ler o que o Senhor escreveu sobre os sofrimentos dela em tempos de Tensão Pré-menstrual. Quando ela ficava nervosa com suas travessuras quando o Senhor era criança, será que era também falta de sexo ou frescura? É claro que não, ela como mulher entende muito bem do que falo. Vivemos em um país em que o racismo existe de forma velada (apesar de sermos o segundo país com o maior número de negros no mundo), que a violência contra a mulher é uma grande realidade social, “artigos” como este que o Senhor escreveu de forma bastante infeliz somente contribui para que isso continue e aumente.
Espero sinceramente que não repita tal erro.
Cordialmente,
Silvia Mourinõ
União Brasileira de Mulheres

Anônimo disse...

Anônima...

Srª Silvia Mourinõ

Só a senhora não entendeu que este blog é feito de comédia...de brincadeiras com fatos reais!!! Para descontrair o nosso dia a dia, e tornar mais leve nossos problemas reais...

Se a Srª se ofende tanto assim com essas brincadeiras, é porque infelizmente você têm estas características, se enquadra nos perfis citados pelo autor do artigo!

Ou seja você deve ser uma solteirona desiludida sem ter o que fazer e mal comida!

Desculpa a sinceridade mas você não deve se incomodar com tão pouco...

Anônimo disse...

nossa este site é ridiculo... e soh por este ultimo comentário ja é possível ver o nível... com certeza o Srº anonimo said deve se otário que se sente o machão que tem que se auto-afirmar... caso contrario deve correr pro colo da mamãe...

Priscila Anjo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Putz, mas só aparece desocupada e mal comida por aqui??? hahahahaha...
Vcs são muito "inteligentes", não conseguem distinguir uma brincadeira de algo sério. ¬¬

Léia disse...

Gente, nem dá pra acreditar... Eu sou bipolar e tenho TPM e lógico não tenho namorado! Mas eu não quero ficar pobre, sou de classe B, quase A... Em Outras palavras bateu tudin.

Anônimo disse...

Quer dizer que fazer julgamentos absurdos já virou piada...
Que gracinha,parabéns.